Alsácia – Vinhos e Gastronomia

Alsácia    •    Vinhos e Gastronomia    •   História

A Alsácia é a única “denominação de origem” da França que construiu sua reputação apoiando-se no conceito de vinhos varietais. A região produz vinhos brancos muito ricos, com ênfase no caráter frutado, que são adequados tanto quando consumidos na refeição como quando degustados isoladamente.

Localização

A Alsácia situa-se no nordeste da França, sendo delimitada pelas Montanhas de Vosges a oeste e pelo rio Reno e pela Floresta Negra da Alemanha a leste. Do alto das Montanhas de Vosges nascem seis rios, que atravessam cerca de 97 quilômetros de magníficos vinhedos.

Clima

Os vinhedos da Alsácia são protegidos plenamente da influência do Atlântico pelas Montanhas de Vosges, recebendo uma excepcional insolação, com baixíssima taxa de precipitação pluvial. Isto se deve ao fato das nuvens de chuva descarregarem seu conteúdo na face oeste dos Vosges, na medida em que vão alcançando maiores altitudes.

Os vinhedos estão situados nas encostas do Vosges, com orientação leste, a altitudes relativamente elevadas, entre 180 a 360 metros, com inclinações que variam entre 25o nas encostas mais baixas e 65o nas mais elevadas. Os melhores vinhedos possuem uma orientação sul ou sudeste, porém existem excelentes propriedades nas encostas voltadas para o norte e nordeste. Na década de 70, o excesso de cultivo nas férteis regiões planas deram origem a problemas decorrentes da superprodução de uvas. Entretanto, alguns vinhedos destas regiões planas dão origem a vinhos de muito boa qualidade, devido à constituição favorável do solo.

Solo

A Alsácia possui a uma das constituições geológicas mais complexa de todas as grandes regiões produtoras da França. As três principais áreas, baseado em sua estrutura e morfologia são: a borda de silício dos Vosges, as colinas de calcário e os solos de aluvião da planície. Os solos dos Vosges incluem colluvium (terras trazidas pelas chuvas que caem sobre as encostas), areia fértil sobre base de granito, solos de argila e pedras sobre xisto, solos férteis variados sobre rocha sedimentar de origem vulcânica e finalmente os solos pobres e leves, de areia sobre pedregulho arenoso. Nas colinas, encontramos solos pedregosos, marrons, alcalinos e secos, sobre base de calcário; solos marrons e arenosos sobre pedregulho arenoso e calcário; solos pesados e férteis sobre argila e calcário e solos alcalinos marrons sobre giz e marla. Nas planícies o solo de aluvião (trazido pelos rios) é composto de areia, argila e pedregulhos, além de um solo composto por um material poroso, marrom e pobre em cálcio, sobre o qual, em alguns lugares se deposita um escuro solo calcário.

Viticultura e Vinificação

O sistema de condução dos vinhedos os mantém mais elevados, evitando a proximidade com o solo congelado na época da primavera. Habitualmente os vinhos são fermentados até o máximo consumo possível do açúcar, apesar de atualmente muitos vinhos não serem tão secos como costumavam ser, pois houve uma drástica redução na quantidade de uvas de cada colheita nos últimos dez anos, com o objetivo de se conseguir os elevados níveis de açúcar exigidos para a produção de vinhos “Vendage Tardive” e “Sélection de Grains Nobles”.

As principais variedades de uvas cultivadas na Alsácia são as germânicas Riesling e Gewürztraminer, a francesa Pinot Gris e a exótica Moscatel, em suas quatro principais variedades, entre elas as Moscatel branca e rosé “à petit grains” e a Moscatel “otonell”. Também encontramos a Sylvaner, a Pinot Noir, a Pinot Blanc, a Auxerrois e a Chasselas. Deve-se ressaltar que na Alsácia, a Gewürztraminer e a Pinot Gris (que é uma uva neutra em todas as outras regiões), assumem um caráter decididamente “spicy” (picante, pungente e com toques de especiarias).

Muito pouco vinho tinto, particularmente de Pinot Noir, é produzido na Alsácia, sendo brancos 90% dos vinhos produzidos na região. Tradicionalmente, a produção de vinhos na Alsácia é de vinhos brancos secos, bastante frutados, apesar dos vinhos produzidos com a Gewürztraminer serem menos secos do que os produzidos com as demais varietais. Com a introdução dos vinhos “Vendage Tardive” e “Sélection de Grains Nobles” e com a deliberada redução das quantidades de uvas colhidas, buscando um maior teor de açúcar, mesmo os “cuvées” mais básicos acabaram se tornando muito ricos para a produção de um vinho verdadeiramente seco. Em vista disso, a tendência à produção de vinhos não verdadeiramente secos (off-dry) vem se espalhando para todas as outras varietais.

Os Grand Crus da Alsácia

A legislação que instituiu os “grands crus” na Alsácia data de 1975, porém somente em 1983 é que surgiu a primeira relação de 25 vinhedos classificados como “grand cru”. Três anos mais tarde, 25 novos vinhedos entraram na lista, totalizando 50 “grands crus”, apesar deste número ser alvo de intensa controvérsia, não apenas por excluir um dos mais famosos e conceituados vinhedos da Alsácia, um verdadeiro e reconhecido “grand cru”, o grandioso Kaefferkopf, em Ammerschwihr. Embora a longo prazo deva trazer benefícios aos consumidores, o fato da legislação restringir o uso da denominação “grand cru” aos vinhos 100% varietais das quatro principais uvas, a saber, Gewürztraminer, Riesling, Pinot Gris e Moscatel, certamente irá inibir o plantio e o desenvolvimento das outras varietais, privando o mercado de uma gama maior de vinhos de alta qualidade.

Gastronomia

A cozinha alsaciana, fortemente influenciada pela tradição culinária alemã, caracteriza-se pelo uso do porco em vários pratos. A lista de pratos tradicionais inclui baeckeoffe, tartes flambées (flammekueche), choucroute, e fleischnacka. O sul da Alsácia, também chamado Sundgau, é famoso pela sua carpe frite (carpa frita).

As festividades de fim de ano, contrariamente ao resto da França, envolvem a produção de uma grande variedade de biscoitos e pequenos bolos chamados brédalas, assim como de pain d’épice (algo parecido com o pão de mel brasileiro), que são distribuídos às crianças desde a festa de Saint Nicolas (São Nicolau).

A Alsácia é também a maior produtora de cerveja da França, graças principalmente às cervejarias na região de Estrasburgo. Entre elas, podemos citar as de Kronenbourg, Fischer, Heineken, Météor e Kanterbräu. O Schnapps (aguardente) também é produzido na Alsácia, mas está em declínio porque as destilarias domésticas são menos comuns hoje em dia, e também porque o consumo de bebidas tradicionais, a forte teor alcoólico, diminui drasticamente.

Outros produtos de renome local são as águas naturais das fontes dos Vosges. Ou os doces tradicionais natalícios como as galetas e biscoitos chamados brédalas ou o pão de mel cm especiarias: pain d’épice.

Posts Recentes